Perguntas Frequentes

Conheça como funciona e tire dúvidas sobre o uso do Meu Último Desejo.

O que é o Meu Último Desejo?
O Meu Último Desejo é uma plataforma 100% digital, capaz de enviar e armazenar mensagens de orientação ou afetivas incluindo fotos, vídeos, músicas e documentos de forma privada e confidencial, reveladas apenas à destinatários escolhidos pelo assinante em vida ou após o seu falecimento.
Como Funciona o Meu Último Desejo?
A plataforma funciona pelo meio de assinaturas mensais pagas por cartão de crédito com dois tipos de planos.

Plano Individual – Possui 3 GB de espaço de armazenamento e possui acesso somente para 1 usuário.

Plano Familiar – Possui 6 GB de espaço e pode ser acessado por até 4 usuários compartilhando os 6 GB de espaço. Cada pessoa possui acesso independente e totalmente separado dos demais mantendo seu conteúdo completamente seguro e sob sigilo.
O que são os Tutores?
Os Tutores têm o papel mais importante para o sucesso de tudo que foi planejado pelo assinante acontecer.

Os Tutores são as 2 pessoas escolhidas pelo assinante para avisar ao Meu Último Desejo quando ocorrer o falecimento do mesmo. Devem ser pessoas próximas do assinante com conhecimento de sua família para que possam estar informados de um eventual falecimento em primeira mão.

Colocamos 2 tutores por medida de segurança pois assim podemos confirmar o falecimento com o segundo tutor antes de dispararmos as mensagens.

Com esse aviso começam a ser enviadas as Mensagens Póstumas organizadas pelo assinante para que seus familiares e amigos possam receber orientações e documentos além de mensagens emocionais deixadas em vídeos, fotos, música e documentos.

Além disso o Tutor nos avisa nas ocasiões especiais para as quais o assinante deixou Mensagens Especiais como formaturas, casamentos e nascimentos de filhos ou netos para que possamos enviar essas mensagens aos seus entes mais queridos.

Ser Tutor é um ato de amor e de muita confiança.

Os Tutores podem cadastrar novos tutores após o falecimento do assinante caso um dos tutores cadastrados não esteja ativo ou não tenha se ativado na plataforma.

Como Funcionam as Mensagens?
Existem 3 tipos de Mensagens.

Mensagem em Vida

São mensagens que você pode montar em vida para surpreender uma pessoa querida ou até mesmo como forma de pedir desculpas por algo. Entendemos que muitas vezes fica difícil pedir desculpas frente a frente e a mensagem pode ajudar nisso. Acreditamos que desculpas curam mágoas e sem mágoas vivemos mais felizes e por mais tempo.

Mensagens Pós-passagem

As Mensagens Póstumas são as mensagens organizadas pelo assinante para que seus familiares e amigos possam receber orientações e documentos além de mensagens emocionais deixadas em vídeos, fotos, música e documentos. Essas mensagens são enviadas no dia do falecimento ou em períodos definidos pelo assinante como por exemplo, 1 dia depois, 2 meses depois ou até anos depois de seu falecimento.

Mensagens Especiais

As Mensagens Especiais foram pensadas para deixar uma mensagem em datas especiais para os entes queridos em caso de falecimento do assinante como como formaturas, casamentos e nascimentos de filhos ou netos.

Essas mensagens são disparadas pelos tutores após o falecimento do assinante.

Como Posso Cancelar Meu Plano?
O cancelamento de seu plano poderá ser solicitado via email, enviando uma mensagem para atendimento@meuultimodesejo.com.br, ou acessando sua assinatura com login e senha e clicando no menu esquerdo em “cancelar assinatura” e seguindo as instruções seguintes. As cobranças futuras em seu cartão de crédito serão canceladas e iremos disponibilizar um link via email para que você possa fazer o donwload de todo conteúdo que incluiu em suas mensagens.

Estamos sempre à disposição para esclarecer suas dúvidas e para ouvir sugestões de melhorias através de nossos canais de comunicação do site no Fale Conosco.

Forte Abraço,

Mário Cassio Mauricio

Fundador & CEO

Testamento Patrimonial
TESTAMENTO PATRIMONIAL: Manifestação de última vontade pela qual um indivíduo dispõe, para depois da morte, em todo ou uma parte de seus bens.

O testamento, além de ser um documento em que as pessoas podem dispor sobre seus bens patrimoniais, também é ideal para inserir informações que o testador considera que são importantes — como a forma como suas eventuais dívidas devem ser quitadas, por exemplo. Não existem muitos impedimentos para a sua realização, basta apenas que a pessoa esteja lúcida e tenha, no mínimo, 16 anos.

Testamento: Quais as Vantagens?

Quando uma pessoa morre, é realizado um levantamento para apurar todos os bens e direitos deixados pelo falecido. Após esse levantamento, será feita a partilha entre os herdeiros.

Porém, se não houver testamento, os bens serão distribuídos aos herdeiros por sucessão legítima.

Nesse caso, é a lei quem determina quem receberá a herança, seguindo a ordem de vocação hereditária.

Assim, os bens irão para os descendentes (filhos, netos, bisnetos e ad infinitum) em concorrência com o cônjuge ou companheiro ou aos ascendentes (pais, avós, bisavós e ad infinitum), também em concorrência com o cônjuge ou companheiro.

Na falta dos ascendentes, quem receberá a herança será o cônjuge ou companheiro sobrevivente.

Na falta do cônjuge ou companheiro sobrevivente, quem tem direito são os parentes colaterais (irmãos, tios, sobrinhos, tios-avôs, sobrinhos-netos).

Mas pode acontecer que a pessoa queira deixar seus bens para outras pessoas, e não apenas as elencadas na lei.

E isso acontece muito! Muitas vezes se quer deixar bens para outras pessoas, que não sejam da família, amigos, funcionários, instituições de caridades.

Será através do testamento que a pessoa poderá estipular para quem ela quer realmente deixar sua herança, mesmo que a beneficiária não esteja elencada na lei como sua herdeira.

Qual parcela do patrimônio pode ser objeto do testamento?

Apenas 50% (cinquenta por cento) da herança – ou seja, a parte disponível, pode ser objeto do testamento. Isso porque 50% de sua herança deve ser transferida, obrigatoriamente, aos herdeiros necessários – se houver.

Esses herdeiros necessários são os descendentes (filhos, netos, bisnetos e ad infinitum ), ascendentes (pais, avós, bisavós e ad infinitum ) e o cônjuge ou companheiro.

Sugerimos aos nossos clientes que façam seus testamentos patrimoniais com apoio de um advogado e que procedam ao seu registro em cartório.

br>

Testamento Vital / Diretiva Antecipada de Vontade (DAV)
Trata-se de um documento público, lavrado no Tabelionato de Notas, que exterioriza a vontade de uma pessoa que esteja no gozo de suas capacidades mentais, com o intuito de disciplinar acerca dos cuidados, tratamentos e procedimentos médicos e terapêuticos que deseja, ou não, ser submetido se estiver inconsciente em decorrência de doença terminal sem perspectiva de cura.

O Testamento Vital se aplica não só em pessoas no estado terminal, mas em todos os estágios clínicos que as colocam em situação de fim de vida, como doença terminal, estado vegetativo persistente e doenças crônicas. Busca-se o direito de morrer com dignidade.

Criadas em 2012 com uma resolução do CFM (Conselho Federal de Medicina), as DAV não têm valor legal, ou seja, cabe ao médico decidir ou não se vai acatar as vontades do paciente, levando em consideração princípios técnicos e éticos. Desde a resolução, o número de registros no Brasil foi crescendo, ainda que de forma tímida, segundo dados do Colégio Notarial do Brasil – Seção São Paulo: de 35 em 2008 foi para 232, em 2012, 731 (maior número registrado até hoje) em 2015, e 549 em 2020.

O testamento vital é feito pelo próprio indivíduo enquanto se encontra são e pode ser usado para guiar o tratamento de um paciente desde que respeite a ética médica. A legislação quanto ao uso do testamento é diferente dependendo do país, porém, é consentido em grande parte deles que o paciente tem direito de decidir sobre o tratamento médico que receberá à iminência da morte. A ideia do testamento vital é permitir a uma pessoa uma “morte digna”, evitar tratamentos desnecessários – ou que têm benefícios ínfimos – para o prolongamento artificial da vida.

A resolução do CFM nº 1995/2012 dispõe sobre as diretivas antecipadas de vontade dos pacientes, na seguinte forma:

Art. 1º Definir diretivas antecipadas de vontade como o conjunto de desejos, prévia e expressamente manifestados pelo paciente, sobre cuidados e tratamentos que quer, ou não, receber no momento em que estiver incapacitado de expressar, livre e autonomamente, sua vontade.

Art. 2º Nas decisões sobre cuidados e tratamentos de pacientes que se encontram incapazes de comunicar-se, ou de expressar de maneira livre e independente suas vontades, o médico levará em consideração suas diretivas antecipadas de vontade.

§ 1º Caso o paciente tenha designado um representante para tal fim, suas informações serão levadas em consideração pelo médico.

§ 2º O médico deixará de levar em consideração as diretivas antecipadas de vontade do paciente ou representante que, em sua análise, estiverem em desacordo com os preceitos ditados pelo Código de Ética Médica.

§ 3º As diretivas antecipadas do paciente prevalecerão sobre qualquer outro parecer não médico, inclusive sobre os desejos dos familiares.

§ 4º O médico registrará, no prontuário, as diretivas antecipadas de vontade que lhes foram diretamente comunicadas pelo paciente.

§ 5º Não sendo conhecidas as diretivas antecipadas de vontade do paciente, nem havendo representante designado, familiares disponíveis ou falta de consenso entre estes, o médico recorrerá ao Comitê de Bioética da instituição, caso exista, ou, na falta deste, à Comissão de Ética Médica do hospital ou ao Conselho Regional e Federal de Medicina para fundamentar sua decisão sobre conflitos éticos, quando entender esta medida necessária e conveniente.

Art. 3º Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação.(BRASÍLIA, 2012:269-70).


Entre as utilidades para o documento, podemos destacar três:

a) assegurar que a vontade do paciente seja seguida pelo médico;

b) evitar desentendimentos na família sobre quais procedimentos adotar em casos de inconsciência do paciente;

c) proteção e amparo legal ao médico.

Sugerimos aos nossos clientes que façam seus testamentos vitais com apoio de um advogado e de um médico de família, e que procedam ao seu registro em cartório.

Dúvidas?
Podemos
ajudar!